Carta da editora

carta
2020. Um ano que ficará na memória de todos para sempre. Um ano que trouxe o distanciamento social, o isolamento, a pandemia, o medo. Estamos todos vivenciando um período bastante incomum de incertezas e angústias. A pandemia, que vem controlando o mundo, fez com que muito do que considerávamos cotidiano fosse alterado, o que acabou por fazer nossas relações com familiares, nosso tempo de lazer, nossa carreira profissional serem colocados em xeque. Contudo ainda existem maneiras de encontrarmos qualidade de vida, mesmo no contexto atual.

A 23ª edição da Revista Expressão Digital é uma delas. São vinte e dois textos, contando com a entrevista, para a sua leitura e apreciação.

São cinco relatos, a começar pelo “Olhares e reflexões sobre a ciência”, do professor André Viegas e Turma de Projetos de Pesquisa 2020/2, do Curso de Química da Fundação Liberato. Outro relato é “Para aqueles que gostam de ensinar e aprender (Eletrônica)”, do professor Irineu Ronconi Jr. “Quem sou eu”, da artista plástica, Laís Oliveira; “Produção de audiovisual na Liberato no período de pandemia”, do grupo Voluntários de Mídias e, por fim, o relato “Projeto leituras online 2020”, da bibliotecária, Carla Casagrande.

Também são cinco as crônicas desta edição: “Você não é todo mundo. Ainda bem”, do professor de Língua Inglesa, Gustavo dos Santos Rodrigues, de Gravataí; “Biti”, do professor Júlio Voltmann Machado, do Curso de Eletrotécnica; “Sobre as voltas que a vida dá”, da professora de Língua Portuguesa e Literatura, Lucrécia Fuhrmann; “Quatro passos na vida”, do aluno do Curso de Eletrotécnica, Rael de Oliveira e, por último, a crônica “Fim de um dia”, da aluna do Curso de Eletrônica, Júlia da Silva Colombo.

Esta edição traz dois contos: “Meu lugar dos sonhos – a unificação”, da aluna do Curso de Química, Andriele Joras dos Santos e “Eu e meu amigo: uma rotina na quarentena”, de Kauan Garcia, aluno do Curso de Eletrotécnica.

São, também, dois os poemas: “Na porta da geladeira”, de Cauê Beltrame, compositor, produtor e youtuber; e “Estrelas”, de Arthur Knevitz, ex-aluno do Curso de Mecânica.

Temos quatro resenhas: “Projeto Meetão Resenha”, da professora de Língua Portuguesa e Literatura, Maria Emília Lubian; “Thor Ragnarok é o filme mais seguro da Marvel e com a maior perda de potencial” e “Django Livre: o ressurgimento do gênero velho oeste moderno”, ambas de Kauan Garcia, aluno do Curso de Eletrotécnica; e “Os meninos que enganavam nazistas”, de Teresa Sofia Wittmann Bauer, aluna do Curso de Eletrotécnica.

Há, ainda, um artigo de opinião: “O nosso desenvolvimento como seres humanos está acompanhando o nosso desenvolvimento científico? – um artigo pré-pandêmico”, de Andriele Joras dos Santos, aluna do Curso de Química.

Contamos com as “Colagens Pandêmicas”, de Maria Emília Lubian, professora de Língua Portuguesa e Literatura, e dos alunos das primeiras séries do Curso de Eletrotécnica e da turma 4124, do Curso de Eletrônica.

A entrevista contempla a reflexão e o ponto de vista da psicóloga Maria Inês Utzig Zulke sobre este momento de pandemia.

E, por fim, a professora de Biologia, Iula Roberta Avila, traz a sugestão de filme.

A partir de agora, convidamos você a conferir nossa edição. Boa leitura!

Carmem Bica Beltrame Professora de Língua Portuguesa Fundação Liberato

Carmem Bica Beltrame
Professora de Língua Portuguesa
Fundação Liberato


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *