Carta da editora

00-maior

Ciência, tecnologia e arte. Essas três palavras, que foram — e continuam sendo —  fundamentais para enfrentarmos os tempos pandêmicos, talvez não por coincidência, são as temáticas-chave que perpassam os textos de nossa edição de 2021. Ainda poderíamos talvez acrescentar a essa lista a palavra “desafio”, afinal, a maioria das experiências aqui relatadas se enquadra na frase que o professor Jader Bernardes cita em seu texto desta edição: “Nunca foi assim!”. A Mostratec nunca foi assim, o Liberarte nunca foi assim, o SIET nunca foi assim, as aulas nunca foram assim. Mas tudo aconteceu; diferente, mas aconteceu! E os textos desta edição evidenciam a nossa capacidade de adaptação. Uma adaptação que só ocorreu com ciência, com tecnologia e com muita, muita arte!

Os relatos iniciam com o texto das professoras Ana Izabel Fernandes e Rogéria da Silveira Pacheco, que, representando o Eixo Educação do Núcleo de Educação, Cultura, Esporte e Ciência & Tecnologia da Fundação Liberato, registram momentos de um encontro on-line com dois ex-colegas da Fundação, Ânderson Correa e Cláudius Soares, em que se discutiu a realidade que cada um enfrentou durante a pandemia em suas atuais instituições de ensino. Em seguida, Jader Bernardes, coordenador da Mostratec de 2020, e Sandra de Oliveira, coordenadora da Mostratec Júnior de 2020, relatam, em seus textos, os desafios de organizar a primeira edição virtual dessas feiras.

O professor Irineu Ronconi Júnior volta no tempo e faz um relato de sua primeira experiência com o ensino “remoto”: o Curso de Eletrônica, Rádio e TV do Instituto Universal Brasileiro. A agente educacional Aline Souza relata as ações do Desafio Impulso, uma promoção da Incubadora Tecnológica da Liberato. A professora Deise Bays descreve a experiência com pibidianos na organização de um sarau virtual sobre Nietzche. Encerrando os relatos, as professoras Maria Emília Lubian e Rafaela Vargas abordam suas experiências com a organização, respectivamente, do Vivências Liberato e do Liberarte, duas ações virtuais que levaram a leitura, a escrita e a literatura à comunidade Liberato.

As entrevistas desta edição são duas. Letícia Perani e Alessandra Maia, palestrantes do SIET 2020, concederam a mim e ao colega José de Souza, coordenador do evento, uma entrevista sobre suas pesquisas na área de mídias digitais, entretenimento, ensino e aprendizagem e Janaína Silveira, Letícia Tancredi e Elias Jabour falaram sobre a China aos professores da área de Ciências Humanas da Fundação Liberato, organizadores dos seminários virtuais em que esses especialistas palestraram neste ano. 

Na seção de artigos, temos o texto da professora Íris Lisboa, que escreve sobre o gênero textual crônica. Já na sugestão de leitura, o professor André Viegas apresenta-nos o livro Como dialogar com um negacionista. As sugestões de filmes são dadas por duas estudantes do Curso Técnico de Eletrônica: Danielle Toma, que resenha Se algo acontecer… te amo, o curta de animação vencedor do Oscar de 2021, e Gabrielle Schmidt, que avalia o filme Soul, vencedor do Oscar de melhor filme de animação.

Encerramos nossa edição impressa com poemas. Os textos são dos professores Jorge Amaral e Adriana Heissler, do egresso do Curso Técnico de Eletrotécnica Eduardo Glück e da hoje professora aposentada da Fundação Liberato e nossa editora até 2020, Cármen Beltrame, que tenho a responsabilidade e o desafio de substituir neste ano. Mesmo não sendo mais nossa editora, a poesia de Cármen continua em nossas páginas.

Em nossa edição virtual, ainda temos muitos outros textos: relatos de pibidianos e de integrantes do Grupo Voluntários de Mídias sobre o Vivências Liberato, resenha do álbum Construção, de Chico Buarque, e do livro Homo Deus: uma breve história do amanhã, redigidas, respectivamente, pelos estudantes Vitória Rodrigues da Silva e Rafael de Castro, do Curso Técnico de Química, e os relato sobre a Semana da Sustentabilidade e sobre o Desafio de Crítica da Mídia da UFRGS,  também escritos por estudantes da Liberato. Também encontramos o conto Bolt, de Andressa Rocznieski, do Curso Técnico de Eletrotécnica, e uma história em quadrinhos produzida por Laís Oliveira, uma artista colaboradora do Vivências Liberato. Por fim, apresento algumas releituras realizadas por estudantes dos cursos de Química e Eletrônica, durante as aulas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, a partir do estudo do conto Maria, obra da autora contemporânea Conceição Evaristo. Não deixe de conferir! Uma excelente leitura a todos!

Daiana Campani - Editora

Daiana Campani – Editora


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *